Administração Pública - Software Livre

Aqui vale tudo, desde a conversa não seja ilegal ou imoral, portanto mesmo aonde vale tudo o respeito é essencial.

Moderador: Moderadores

mkleber
MUITO BIG
Mensagens: 259
Registrado em: 22 Dez 2008, 15:18

Administração Pública - Software Livre

Mensagem por mkleber » 11 Fev 2009, 13:21

Bom, estamos vendo que a tendência é a do software livre dominar, por uma série de motivos, como as melhorias constantes, o custo baixo de implantação e a ausência de valores de licença.

Vamos analisar alguns pontos:

1. O que nessas horas algum picareta defensor do Windows argumenta é que: "tá certo linux é de graça, e o windows é pago, mas linux tem que pagar suporte...."

Ok, então eu pergunto, e Windows não tem que pagar suporte?, por acaso se em uma repartição pública dá um mega pane, vai sair um funcionário da Microsoft e vai de graça até o local para resolver o problema? Acho que não, mesmo porque nos setores públicos existem funcionários responsáveis pelo atendimento imediato e suporte ao usuário, então se eles não manjam de Linux problema deles! que vão aprender e ficar atualizados... façam cursos, especializações, se virem!
Para comparar o exemplo é fácil imaginar que na Cidade de vocês existem alguma concessionária de carros, por exemplo a GM, muita gente não sabe, mas se eu tenho um carro de outra marca e levar lá para manutenção, funilaria e mecânica eles atendem QUALQUER MARCA e não apenas GM.

Então o argumento de que "o linux gasta muito com suporte" é balela, pois o usuário que não sabe nada de informática não sabe nem de linux nem de windows...

2. Provavelmente nosso amigo petulante iria argumentar, mas existem centenas de softwares para o Windows que não existem para o Linux. Novamente esse nosso amigo está errado, sem falar que, a maioria desses "softwares" que ele acha tão legal e deve estar usando, custam os olhos da cara, e é bem provável que ele não tenha pago nada por eles, trabalhando na ilegalidade e praticando crime.

O Linux possui softwares para todas as funções necessárias e equivalentes ao Windows, como por exemplo a suíte office BR-Office, para gravação de CD/DVD/Blue-Disk o K3, para editoração de imagens o Gimp, para messenger o aMSN, para e-mail o ThunderBird, para navegação WEB o Firefox, isso por si só, acredite ou não, já mata a necessidade da maioria dos usuários, mas vale lembrar que tudo o que se pode imaginar de tarefas podem ser feitas no Linux sim, como editoração de vídeos, de músicas, autoração de filmes, editoração de gráficos em 2D e 3D, jogos com a mesma qualidade de jogos do Windows, conversão de vídeos e formatos de áudio, e por aí vai...

Agora para a Administração Pública, o que se faz é o básico e muitas vezes em programas específicos, ou seja, além de editar textos e planilhas, envio de e-mail e vez por outra navegação na internet, o resto das funções são obtidas por softwares específicos sob encomenda que são adquiridos de desenvolvedores, como por exemplo um sistema que gerencie as reclamações em uma Prefeitura, ou banco de dados de Projetos de Lei em um Câmara Municipal, um cadastro e consulta de processos e andamentos em um Fórum, o controle de funcionários e folhas de pagamento, o registro dos Inquéritos Policiais ma Delegacia.

Fica fácil então de imaginar: qual é a real complexidade desses programas? bom, eu creio que deve conter as 4 operações básicas para os campos necessários, ou seja, inclusão, alteração, exclusão e impressão de dados. isso dentro de uma interface intuitiva e amigável, o que nos leva a acreditar que não é preciso ser um cientista espacial para utilizar um sistema desses mas também não é tarefa para um chimpanzé (embora existam muitos em algumas repartições pelo Brasil).

Um software desenvolvido em Linux não terá o preço mais caro que um software desenvolvido em Windows, e a sua manutenção e atualização de versões não será mais cara.

Então até agora o Linux continua sendo um excelente negócio.


3. Ok, mas e a facilidade uso? Windows "todo mundo" sabe usar não é mesmo? Não, não é... se assim fosse não teríamos escolas de computação cheias de alunos aprendendo "informática" que é basicamente meia dúzia de funções no windows, meia dúzia de funções no office e navegar na internet...

O ponto é que: para quem nunca usou Windows ou Linux, a dificuldade vai ser a mesma, basta aprender a meia dúzia de comandos que necessita para ver o sistema funcionar e ponto final. Para quem usava Windows, vai estranhar muito a mudança de nomenclatura, do lugar dos ícones e atalhos, de alguns comandos, mas não é nada que a boa vontade não possar dar um jeito.

4. E a compatibilidade de Hardware? Esse ponto é importante, me faz lembrar um amigo que viu uma máquina de café expresso em oferta e não pode resistir, comprou a danada, e na hora de ligar qual foi a surpresa? só funcionava em 220V sendo a instalação da casa dele 110V, bom ele pagou mais barato sim, mas ficou com algo que não atenderia as suas necessidades, por sorte conseguiu devolver e pegar outro modelo "mais feinho" e mais caro, mas que funcionava perfeito.

Com hardware é a mesma coisa, antes de comprar é necessário saber como vai funcionar e se suporta o que você pretende fazer. A Administração pública ao anunciar em uma licitação que pretende adquirir hardware deve especificar que seja funcional tanto em Linux quanto em Windows e ponto final, se determinada marca de impressoras não dá suporte ao Linux azar vai ficar de fora, pois com certeza há outras que suportam... Ok, mas vamos então supor que a Administração não queira comprar hardware, queira utilizar o que já possui, em alguns lugares há ainda máquina de escrever e não tem hardware :P, mas tudo bem, vamos supor que exista um hardware "meia-boca", como implantar Linux? Novamente vamos jogar a batata quente aos especialistas, se uma repartição conta com técnicos em informática, é deles o dever de verificar as compatibilidades para aquele hardware, não basta dizer "funciona" ou é "incompatível" e comprar novo hardware, seria mais fácil né? Imaginem os senhores, em alguma repartição em que temos um micro com o Windows 98 instalado, se o tal técnico chega e diz "mas o vista é muito melhor" vamos colocar o Vista porque ele é mais rápido, e isso e aquilo, é lógico que fisicamente é impossível colocar o Vista funcionando em um micro que na época suportava o Windows 98, então a solução desse técnico meia-boca seria: vamos comprar um micro novo, o que vai totalmente contra os princípios da administração, onde se deve fazer o máximo com o mínimo.

Bom, feitos esses comentários, fica aberto o tópico para postarmos notícias relacionadas ao Linux / Software Livre nas Administrações, pois com certeza temos colegas aqui que são da Administração Pública e podem ajudar a fazer essa ideia progredir e gerar bons frutos.

mkleber
MUITO BIG
Mensagens: 259
Registrado em: 22 Dez 2008, 15:18

Mensagem por mkleber » 11 Fev 2009, 13:23

http://tecnologia.terra.com.br/interna/ ... 01,00.html

Sábado, 22 de novembro de 2008, 15h45
Sistema livre criado em SC 'imita' Windows e faz sucesso

Fabrício Escandiuzzi
Direto de Florianópolis

Um sistema operacional livre produzido numa pequena cidade de Santa Catarina vem fazendo sucesso entre os internautas. O BRLIX já conta com cerca de 13 milhões de downloads em todo o mundo, menos de um mês depois de seu lançamento.

» Veja fotos da equipe do BRLIX
» EUA: Decisão representa vitória para software livre
» Fórum: opine sobre softwares livres

Criado por professores e alunos da Faculdade Metropolitana de Guaramirim (FAMEG), município de 30 mil habitantes localizado a cerca de 170 quilômetros de Florianópolis, o BRLIX GNU/Linux é a chamada "seqüência" de um projeto de pesquisa chamado FAMELIX, que já contou com 26 milhões de downloads em cinco idiomas.

O novo projeto, desenvolvido pela mesma equipe, conta com uma interface e recursos muito semelhantes ao Windows Vista. E nasceu com o objetivo de auxiliar no combate à pirataria e na inclusão digital de comunidades, segundo o professor David Emmerich Jourdain, alemão radicado no Brasil e um dos criadores do sistema.

"Vivemos diante de uma geração Windows. Muitas pessoas não conseguiram se familiar ao Linux devido aos seus comandos serem muito distintos", afirma. "Com o nosso software, utilizamos interfaces muito semelhantes, para que o usuário possa optar por softwares livres de forma natural".

O painel de controle e suas principais funções, o acesso às pastas e arquivos do computador e até a apresentação são realmente quase idênticos ao software da Microsoft. "Não competimos com o Windows, conhecido por 90% dos usuários de todo o mundo. Nos adaptamos para criar uma plataforma livre e convencer o usuário", diz o professor. "A diferença é que o BRLIX é de graça".

Segundo David, o software brasileiro apresenta alternativas que facilitam o aprendizado, além de permitir que usuários que já conhecem o Vista ou o XP não se sintam "perdidos" no novo sistema operacional. "Além de atender as necessidades da maioria dos usuários, o BRLIX pode reduzir sensivelmente os custos de iniciativas de inclusão digital, por exemplo, evitando o alto investimento em softwares proprietários", acrescenta.

Emmerich e os alunos criaram uma empresa, a Epidemus, para gerenciar a demanda do produto no mercado e continuar as pesquisas dentro da universidade. Eles já receberam boas notícias: redes de lojas como as Casas Bahia, no estado do Ceará, começaram a instalar o sistema nos notebooks vendidos na região. Contatos com fabricantes de computadores e celulares também estão sendo realizados, revela o professor, que se denomina anti-Windows por "ideologia".

O BRLIX chegou a derrubar um servidor da Universidade de São Paulo diante de quantidade de downloads de usuários. "Conseguimos que o governo de Santa Catarina nos cedesse um servidor para que os usuários baixem o sistema", explica.

"Não víamos muito sentido num projeto desenvolvido em nosso Estado estar disponível para download somente em servidores da USP", diz Paulo Luna, diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação da secretaria de Desenvolvimento Sustentável do estado catarinense. "Como temos grande interesse na área tecnológica, passamos a apoiar o projeto".

O BRLIX, que tem como símbolo uma arara azul, está disponível para dowload no site www.brlix.com.

A semelhança no nome com Asterix, o fanfarrão herói dos quadrinhos, não é mera coincidência. "Somos como os gauleses que arrumavam encrencas com todos os grandes impérios", brinca Emmerich.

Especial para Terra

mkleber
MUITO BIG
Mensagens: 259
Registrado em: 22 Dez 2008, 15:18

Mensagem por mkleber » 11 Fev 2009, 13:28

http://www.pge.ce.gov.br/site/index.php ... ware-livre


Notícias PGE 100% Software Livre
Sex, 30 de Janeiro de 2009 17:51
PDF
[Voltar página]
PGE 100% Software Livre
Seguindo as diretrizes da política de Software Livre do Governo do Estado do Ceará, a Procuradoria-Geral do Estado (PGE) alcançou, neste mês de janeiro, a grande meta de migrar todas as suas estações de trabalho para Software Livre (SL). São quase 400 desktops utilizando a distribuição linux OpenSuse, enquanto nos servidores foi adotado o Suse Linux Enterprise Server 10. O último computador foi migrado no dia 23.

Tendo o apoio irrestrito do Procurador-Geral do Estado, Dr. Fernando Oliveira, o feito foi idealizado pelo coordenador de TI Alcy Pinheiro, em 2007, conjuntamente com Francisco Carlos (Chiquinho), Assessor Especial de Tecnologia da Informação do Gabinete do Governador. Naquele momento, o auxílio do Gabgov no encaminhamento do analista Edelson Mendes para dar suporte à migração foi indispensável para o desenvolvimento do projeto.

A conversão para o sistema operacional livre começou a ser realizada na PGE ainda em 2007, sendo intensificada no ano seguinte, quando foram tomadas diversas medidas para que a implantação de SL na casa fosse realizada da melhor maneira possível. A Coordenadoria de Tecnologia da Informação (CTI), executora das ações, teve um papel importantíssimo tanto no período de conscientização quanto de migração, tendo em vista o incomparável crescimento da PGE nos últimos dois anos.

Foi preciso modificar uma cultura a muito arraigada no dia-a-dia das pessoas, principalmente em relação às que estavam chegando e que não eram poucas. Para se ter uma idéia, desde 2007 até hoje, a quantidade de colaboradores trabalhando para a casa praticamente triplicou. Chegaram novos procuradores, terceirizados, estagiários, além dos mais de 100 funcionários cedidos para Central de Licitações. Adaptar todos ao ambiente livre foi uma tarefa que exigiu bastante dedicação de uma equipe capacitada e eficiente, além de muito planejamento e senso de respeito aos usuários, os quais se tornaram parceiros neste processo.

Inicialmente, estabeleceu-se que todos os computadores adquiridos deveriam ser convertidos para SL antes de serem instalados nos setores da PGE. Isso fez com que as dezenas de colaboradores que entraram na casa a partir de 2007 tivessem contato direto com o ambiente livre imediatamente. Para que não houvesse problemas de má adaptação dos usuários, paralelamente a este processo, foram realizados treinamentos direcionados para utilização da suíte de aplicativos OpenOffice, gerenciador de e-mail (thunderbird) e navegador Firefox. Além disso, todo o material das aulas de linux foi criado pela CTI e disponibilizado na Intranet para auxiliar os usuários em caso de dúvidas.

Em 2008, com o Decreto nº 29.255, de 09 de abril, que abordava a instituição do SL no Governo do Estado, a migração tornou-se mais concreta e justificável para os colaboradores que ainda estranhavam a mudança. Aos poucos, a novidade se incorporou ao cotidiano. A CTI também estudou as necessidade das áreas para desenvolver novas ferramentas de trabalho em SL que substituíssem os sistemas legados, o que foi realizado eficientemente.

Desta forma, a PGE torna-se o primeiro órgão do Estado do Ceará a ter todas as suas estações de trabalho funcionando perfeitamente em linux. Esta é uma grande conquista que irá atingir a economia cearense, pois o investimento empregado na aquisição de licenças de software poderá ser redirecionado para áreas como educação, saúde etc. A economia que se consegue somente em licenças de software já ultrapassa a faixa de R$ 1.000.000,00 e, como é escalonável, tende a crescer mediante aquisição de novas máquinas.

Fonte: Comunicação Social - PGE

mkleber
MUITO BIG
Mensagens: 259
Registrado em: 22 Dez 2008, 15:18

Mensagem por mkleber » 18 Mar 2009, 11:32

SLMT - Software Livre Mato Grosso

“Anuncio a criação da lista de discussão Software Livre Mato Grosso SLMT onde direcionaremos nossos esforços para a disseminação dos conceitos e usos de software livre no mato grosso. Sintam-se à vontade para se cadastrar na lista e nos ajudar com sua experiência ou sanar suas dúvidas e curiosidades.”

http://groups.google.com.br/group/slmt- ... o?hl=pt-BR

pedrotti_25
BIGGER
Mensagens: 150
Registrado em: 08 Dez 2008, 17:41

Mensagem por pedrotti_25 » 18 Mar 2009, 13:05

http://www.softwarepublico.gov.br
Incentivo á softwares livres do governo federal , disponibilizando softwares desenvolvidos pelo próprio governo federal .

pedrotti_25
BIGGER
Mensagens: 150
Registrado em: 08 Dez 2008, 17:41

Mensagem por pedrotti_25 » 19 Mar 2009, 17:07

mkleber, www.brlix.com , Impressionante !!! Baixei e instalei no meu virtualbox é um belo trabalho !
É uma boa opção pra quem está acostumado com windows e encontra dificuldades em se habituar com linux.

mkleber
MUITO BIG
Mensagens: 259
Registrado em: 22 Dez 2008, 15:18

Mensagem por mkleber » 19 Mar 2009, 21:44

pedrotti_25, valeu a dica vou tentar aqui !

pedrotti_25
BIGGER
Mensagens: 150
Registrado em: 08 Dez 2008, 17:41

Mensagem por pedrotti_25 » 21 Mar 2009, 20:28

mkleber,Um email que recebi do Portal do Software Público Brasileiro e resolvi compartilha-lo aqui no fórum.

Depois da atividade de lançamento oficial do software AMADEUS, realizada no dia 12 de março de 2009, em ato organizado no auditório do Centro de Informática, da Universidade Federal de Pernambuco-UFPE, a solução ingressa no Portal do Software Público Brasileiro. Os usuários do Portal podem acessar a solução clicando direto no endereço <http://www.softwarepublico.gov.br/ver-c ... id=9677539>

O projeto, todo desenvolvido em Pernambuco, é coordenado pelo Centro de Informática (CIn), da UFPE, e tem como principal característica ser um sistema de gestão de aprendizagem, na ótica de atender as demandas mais atuais para as atividades de Ensino à Distância (EAD).


A expectativa é de que, com o apoio do Portal SPB, o Amadeus - que desde seu lançamento, no ano passado, já foi tema de pelo menos 14 dissertações de Mestrado e duas de Doutorado - conquiste o País. A plataforma entra em uso ainda no mês de março no SENAI do Rio Grande do Norte e na Escola Agrotécnica Federal de Belo Jardim (e-TEC Brasil). Também já há negociação em andamento com a Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Valparaíso, no Chile.


Detalhes do Projeto (*) - A força do Amadeus está justamente em oferecer um sistema de gestão da aprendizagem de segunda geração, baseado no conceito de blended learning (que usa diversas plataformas: Internet, desktop, celulares, PDAs de forma integrada e consistente). Só para citar um exemplo, o aluno pode receber mensagens no celular sempre que o professor colocar algum novo material. Os desenvolvedores prometem ainda incluir o padrão da TV digital no sistema.


(*) descrição feita ao Diário de Pernambuco no dia 11/03 pelo coordenador do projeto Alex Sandro (professor da UFPE).


Notícias das Comunidades:

CACIC: Nova versão [2.4.0RC2] disponibilizada
<http://www.softwarepublico.gov.br/dotlr ... id=9273707>

GINGA: o Live CD agora disponível!
<http://www.softwarepublico.gov.br/dotlr ... id=9541466>

i-EDUCAR: Nova versão do i-Educar
<http://www.softwarepublico.gov.br/dotlr ... d=10161055>


Notícias do Portal:

Software Banco de Talentos será Lançado na Segunda-feira
http://www.softwarepublico.gov.br/lanca ... e-talentos

mkleber
MUITO BIG
Mensagens: 259
Registrado em: 22 Dez 2008, 15:18

Mensagem por mkleber » 21 Mar 2009, 21:10

pedrotti_25, excelente ! fico feliz em ver que um parceiro está sintonizado na administração e na divulgação do linux nessa área

pedrotti_25
BIGGER
Mensagens: 150
Registrado em: 08 Dez 2008, 17:41

Mensagem por pedrotti_25 » 22 Mar 2009, 14:22

mkleber ,Na minha opinião , sóftware livre deixou de ser o "futuro" .... já é o "presente" com o grande passo dado pelo governo Lula no incentivo e fomentação da inclusão de softwares livres na administração pública .
A exemplo do Brasil , a Bolivia , e mais timidamente Cuba , seguem o mesmo caminho , e isso não vai parar por ai , em breve toda a América Latina migrará para o software livre , na administração pública , tenho fé nisso . (Na Argentina já temos uma bela comunidade linux , se não me falha a memória mandriva é muito difundido)
Como disse aquele célebre presidente Norte Americanio... (do qual não me recordo o nome , só lembro que era contemporâneo de Vargas) "A américa Latina vai por onde o Brasil for". Nosso país continua sendo um norteador dos caminhos da nossa "Amada América Latina" nas mais sombrias páginas de nossa história , e nos bons momentos como este .

mkleber
MUITO BIG
Mensagens: 259
Registrado em: 22 Dez 2008, 15:18

Mensagem por mkleber » 25 Mar 2009, 19:19

http://prefeituralivre.com.br/node/1

O Prefeitura Livre® é uma solução desenvolvida pela OpenGEO® e seus parceiros, contando com o apoio financeiro da FAPERJ. A rede de parceiros da OpenGEO® oferece suporte técnico em todo o Brasil.

paulovaz
BIG!!!
Mensagens: 48
Registrado em: 05 Mai 2005, 18:25
Localização: Curiritba
Contato:

Mensagem por paulovaz » 26 Jun 2009, 18:32

pedrotti_25 escreveu:mkleber, www.brlix.com , Impressionante !!! Baixei e instalei no meu virtualbox é um belo trabalho !
É uma boa opção pra quem está acostumado com windows e encontra dificuldades em se habituar com linux.
Muito legal uma pena que ue não consigo fzaer o registro no forum de jeito nenhum, mandei diversos emails mas eles não dignaram a responder

pedrotti_25
BIGGER
Mensagens: 150
Registrado em: 08 Dez 2008, 17:41

Mensagem por pedrotti_25 » 06 Jul 2009, 19:38

paulovaz . O que está ocorrendo é que , por um motivo qualquer , não estão mandando a resposta por email do registro . Mas o fórum aceita a senha normalmente.

paulovaz
BIG!!!
Mensagens: 48
Registrado em: 05 Mai 2005, 18:25
Localização: Curiritba
Contato:

Mensagem por paulovaz » 07 Jul 2009, 11:34

pedrotti_25 escreveu:paulovaz . O que está ocorrendo é que , por um motivo qualquer , não estão mandando a resposta por email do registro . Mas o fórum aceita a senha normalmente.
É... Fui descobrir esses dias, estrabho não e não respondem também email de contato.
Vamos aguardar o Biga 5.
É interessante o BRLIX mas só estou usando porque foi o único que funcionou na porcaria da positivo z61.
Obrigado

Avatar do usuário
webhumanas
BIG BANG!
Mensagens: 90
Registrado em: 16 Jan 2007, 01:24
Localização: Porto Alegre
Contato:

Mensagem por webhumanas » 17 Ago 2009, 14:56

Tem um probleminha. Queria colocar o Big na escola em que trabalho, pública, mas os micros que vieram nela são da Positivo, que veio com um Linux muito ruim, não dá nem pra baixar programas. E, como eles estão na garantia, só o pessoal da Positivo pode alterá-los. Ou seja, não posso instalar o BIG nelas.

Responder

Voltar para “Papo Aberto”

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 24 visitantes